O Milagre da Fusão Nuclear

Enquanto o mundo ainda se degladia pelo petróleo e países do terceiro mundo como Brasil e Venezuela ainda discutem o que fazer com seus blocos de petróleo, o mundo civilizado já está alguns passos na frente.

Essa semana, um acontecimento passou grandemente desapercebido por quase todo mundo. A Alemanha inaugurou sua primeira fábrica de fusão nuclear, o Wendelstein 7-X.

Mas o que diabos é fusão nuclear?

De uma forma bem simples, é quando se junta dois átomos de um elemento químico para formar um outro, gerando a partir dai uma quantidade enorme de energia.

Quem nunca ouviu e=mc2, a famosa teoria de Einstein apresentada ao mundo no glorioso ano de 1915? É basicamente a quantidade de energia presente em um objeto. A energia é resultado de sua massa multiplicada pela velocidade da luz ao quadrado. Que é bastante coisa: basta dizer que a luz consegue dar quase 7 voltas na Terra em apenas um segundo.

Para exemplificar, se quebramos todas as ligações atômicas do seu mouse, teríamos energia suficiente para manter uma cidade como o Rio de Janeiro acessa por um ano.

O Sol nada mais é do que uma mega ultra fábrica de fusão nuclear. Ele pega dois átomos de hidrogênio, funde e forma um átomo de hélio. A energia formada é o que dá o seu bronzeado quando você vai na praia.

O homem já havia dominado a fissão nuclear, quando quebra um átomo em dois menores, liberando também grande quantidade de energia. Primeiramente como bombas atômicas e atualmente como as usinas atômicas.

O problema é que na fissão precisa usar elementos pesados e radioativos, que quando quebrados ainda geram elementos radioativos, que tem que ser descartados. Sem contar que acidentes podem acontecer, gerando vazamento de radiação para a natureza.

Na fusão não. Melhor que isso, o resíduo que temos da reação é água, na sua forma mais pura.

Energia na sua forma mais pura, em grande quantidade, limpa e renovável. O sonho de consumo de todo cientista.

O problema é que o homem só conseguia realizar a fusão nuclear com a energia da fissão. A bomba H era isso: uma bomba atômica que liberava energia suficiente para fazer a fusão do hidrogênio que ia estrategicamente colocado na camada externa. Era um processo de fissão que desencadeava uma fusão, produzindo uma quantidade absurda de energia.

Por isso, conseguir a fusão nuclear sem precisar de energia proveniente das bombas atômicas não é nada fácil. Praticamente temos que criar uma estrela dentro do reator. Acredite, manter estável uma bola de gás de plasma a 100 milhões de graus Célcius não é coisa simples de se fazer.

Mas os cientistas, depois de anos de tentativas, conseguiram pela primeira vez a produção de energia de forma estável com a Weldenstein 7-X. Usando um superpoderoso campo magnético, mantiveram o plasma superaquecido de forma estável.

O domínio da técnica de fusão pode abrir horizontes inimagináveis. Podemos pegar água salgada e produzir energia, ao mesmo tempo em que o resultado seria água dessalinizada. Desertos virariam área plantável ao mesmo tempo em que produziria energia para as cidades. Pode ser o fim da fome no mundo.

Por enquanto, o reator alemão produz somente energia suficiente para se manter. Mas em 2019 a previsão é que já haja energia suficiente para distribuir e fazer o que o Sol já faz há 4 bilhões de anos.

Serão as fábricas de estrelas que vão revolucionar o mundo.


4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo