O Advogado dos Escravos

No Dia da Consciência Negra, que tal falar de negros notáveis? Luís Gama nasceu em Salvador, ainda na época da escravidão. Nascido de mãe negra livre e pai branco, foi feito escravo aos 10, vendido pelo próprio pai para pagar dívidas de jogo. Permaneceu analfabeto até os 17 anos de idade, quando começou a aprender a ler, graças à benevolência de um hóspede da pousada onde trabalhava.

Conquistou judicialmente a própria liberdade, reunindo documentos que provavam seu nascimento como um homem livre, e passou a atuar na advocacia – autodidata, sem diploma – para ajudar outros negros em situação de escravidão.

Aos 29 anos, já era um autor consagrado e considerado "o maior abolicionista do Brasil". Foi um dos raros intelectuais negros no Brasil escravocrata do século XIX, o único autodidata e o único a ter passado pela experiência do cativeiro. Pautou sua vida na defesa da liberdade e da república.

Advogava não apenas de graça, mas tinha em sua casa um cesto de moedas para dar aos mais necessitados. Segundo suas próprias estimativas, conseguiu libertar mais de 500 escravos. Por esse feito, ficou conhecido como o “advogado dos escravos”.


0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo